Banner Mach
Banner Nova

Ainda mais caro: Produtos para ceia de Natal sobem mais de 25%

A tradicional ceia de Natal também sofrerá influência dos números da inflação no Brasil. Entre os alimentos mais consumidos nesta época do ano, o panetone teve alta de 25,96% no preço, em relação a dezembro de 2020. A pesquisa é da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas).

Com base na pesquisa do IPC (Índice de Preços ao Consumidor), a média na mudança de preço nos produtos alimentícios de Natal foi de 5,91%, com o valor total passando de R$ 309,86 para R$ 328,17.

Segundo informações do portal R7, a tendência ainda é de alta, já que itens como pernil, lombo e chester têm oscilações fortes nos meses de novembro e dezembro.



Para receber as notícias da página São Bento Notícias pelo WhatsApp no seu celular clique aqui!

A pesquisa da Fipe engloba 15 produtos da cesta de Natal e 11 da lista de outros itens natalinos na avaliação. Além do panetone, houve aumento na azeitona verde sem caroço (21,91%) e na caixa de bombom de chocolate (12,83%).

Entre as carnes, o filé mignon bateu 35,17% de alta, liderando o ranking. O bacalhau importado, item que enfrenta impacto direto do câmbio, ficou 12,34% mais caro. O chester e o peru registraram alta de 7,27%.

Já a carne suína teve recuo até outubro, com o pernil registrando -9,76% e o lombo com osso, -0,53%. Contudo, isso deverá mudar até o fim do ano.

“Os preços das carnes suínas, que estão com variação negativa no ano, mesmo que subam, ainda se tornam bem vantajosos em relação ao bacalhau e ao filé mignon, por exemplo”, avalia o analista-técnico da Fipe, Marcelo Pereira.

Sobre o panetone, que tem efeito contrário dos outros itens sazonais, com o preço mais alto antes de dezembro, Pereira explica que deve haver queda no preço. “Nas primeiras semanas de dezembro, o preço começa a recuar um pouco. Desses itens sazonais que compõem a cesta de Natal, ele é um dos únicos que devem ter uma queda, além da carne bovina”, explica.

Clique em Curtir Página